Algumas palavras para me apresentar

Nascida na França, Annie Cicatelli viveu mais de 25 anos no Brasil. Jornalista de formaccedil;ão e fotógrafa por paixão, trabalhou durante 15 anos como reporter, redatora e editora na imprensa brasileira, tendo sido recompensada em 1986 com o Prêmio Esso de Jornalismo, maior recompensa de jornalismo no Brasil.

Em 1987, de volta à França, ela se dedica à fotografia. Entre 1989 e 1998, realiza vàrias exposições no Brasil e na Franša: "Paris e a Revolução" (1989), "Chapéus! Imagens de desconhecidos" (1994), "Vitória além dos seus limites" (1995), "Festival Cinemas da África" (1995).

Em 1997, a vontade de criar "com as mãos" e de realizar pesquisas sobre outras culturas faz com que Annie desenvolva projetos voltados para a arte de bordar. Passa então a criar seus próprios desenhos, baseados em pesquisas : primeiro os tapetes, depois os azulejos, os tecidos, as jóas... Ela já tinha realizado um projeto de artesanato, no Brasil, no início dos anos 80: o ateliê "Feito à mão", trabalhando com bordado, costura, patchwork, tricô, crochê, etc., feitos por jovens desempregadas.

Todos os temas escolhidos por Annie são o resultado de pesquisas sobre diferentes culturas às quais ela deseja homenagear. Transformando o material recolhido em desenhos para o bordado ponto de cruz, Annie procura divulgar, desta maneira, as viagens e pesquisas realizadas, um convite a viajar com ela...


Cobertura do livro publicado em 1994 - Cartaz da exposição "Paris e a revolução" -
Convite da exposição "Chapéus! Retratos de desconhecidos"

Exposições realizadas


Volta ao